Serenata


A noite em que não consigo dormir continua... Eu quero te ver.
O sonho interrompido é deprimente e a minha canção de desejo é longa


Sem ter como suspeitar, pego a mão
Este caminho que nós dois percorríamos juntos
Ei... Nós prometemos, não é?


"Não importa quão alto seja o muro, nós o ultrapassaremos"
Por que você não está mais aqui? Eu quero te ver agora...


Ainda com o coração aprisionado, temendo tudo
Até onde eu devo ir? Eu não posso mais caminhar...


Sonhe, porque nós podemos nos encontrar lá
Desaparecerá cruelmente mais uma vez
Sim, como uma estrela cadente...


Aquela luz brilhante é você, as lágrimas envolvem o céu noturno
Transformando-se na chave para o coração, abre a porta trancafiada


Se sou capaz de te encontrar novamente algum dia, quero lhe dizer:


"Não importa quão alto fosse o muro, nós o ultrapassávamos"
"Obrigado, você pode dormir agora, porque posso caminhar por mim mesmo"


O sonho que nós dois sonhávamos, transforma-se para a chave para o coração
Certamente, algum dia, irei trazer o amanhecer para o céu noturno


Ah... Qualquer um esconde no peito(coração), ecoe para a ferida do coração
Atravessando o portão que trancafiou-se, oh som alcance-a, iluminando a escuridão...

Comentários

  1. Este texto lembra-me muito canções de despedidas. E talvez seja mesmo isso. Ou talvez não. Não sei rs'
    Gosto de textos como esse. Emanam sentimentos e me fazem imaginar pessoas e lugares. Transborda emoção e paixão - e talvez raiva, já que a pessoa foi embora, deixando alguém só.
    Enfim, teu blog é muito bom Nando. Parabéns. É claro que te seguirei. Deixo aqui o link de meu blog caso queira retribuir a visita.
    Abraços, até mais.
    http://daquioitentaanos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hoooo..... muito agradecido pelo comentário :) agradeço o elogio e apesar da demora eu retribuo com todo prazer pode contar com isso :)

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Natal... Um Feliz Natal....

Vale a pena tentar ser melhor? Viver x Existir

....